Terremoto no México revela templo desconhecido de quase mil anos

Views:
7

Arqueólogos avaliavam possíveis estragos na pirâmide de Teopanzolco após tremor de setembro, de magnitude 7,1, quando descobriram templo do século 12 que estava escondido. O novo templo foi descoberto após escaneamentos com radar na pirâmide de Teopanzolco
AFP
Arqueólogos que examinavam uma pirâmide no México para avaliar eventuais danos causados pelo devastador terremoto que atingiu o país em setembro do ano passado descobriram um antigo templo.
O templo está situado dentro da pirâmide de Teopanzolco, perto de Cuernavaca, no Estado de Morelos, 70 km ao sul da Cidade do México.
Acredita-se que ele tenha sido erguido por volta de 1150 d.C., no período da cultura tlahuica, um dos povos astecas que viviam na região central do país.
O templo, de 6 m de comprimento por 4 de largura, seria dedicada a Tláloc, deus asteca da chuva.
Acredita-se que as principais estruturas do sítio arqueológico de Teopanzolco datem do século 13 – o que indica que o templo recém-descoberto é anterior a ele
AFP
Entre os vestígios do templo também foram encontrados um queimador de incenso e cacos de cerâmica.
A descoberta foi feita quando uma equipe do Instituto Nacional de Antropologia e História do México (INAH) escaneava – com um radar – a pirâmide de Teopanzolco em busca de danos estruturais.
A arqueóloga Barbara Koniecza disse que o terremoto de magnitude 7,1 que atingiu o México em setembro, matando 369 pessoas, causou danos consideráveis a Teopanzolco, em particular a dois templos. “A pirâmide sofreu um considerável rearranjo do núcleo de sua estrutura.”
Segundo arqueóloga, terremoto de magnitude 7,1 que atingiu o México em setembro causou danos consideráveis a Teopanzolco
AFP
Pesquisas sugerem que os tlahuica viviam em dezenas de pequenas cidades-estados na região em que hoje fica o Estado de Morelos.
Acredita-se que as principais estruturas do sítio arqueológico de Teopanzolco datem do século 13 – o que indica que o templo recém-descoberto é anterior a ele.
Koniecza diz que não era incomum que os tlahuica fizessem construções sobre estruturas antigas.

Curta ou Compartilhe esse anúncio
0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *