País tem piora no rombo das contas externas, mas investimentos estrangeiros sobem no ano, diz BC

Views:
2

Números levam em conta os dez primeiros meses de 2021. Levando em conta apenas outubro, o rombo nas contas externas subiu e os investimentos estrangeiros recuaram. O rombo das contas externas do Brasil e os investimentos estrangeiros diretos na economia brasileira avançaram de janeiro a outubro deste ano. Os números foram divulgados nesta quinta-feira (25) pelo Banco Central (BC).
Segundo a instituição, o déficit das contas externas do Brasil somou US$ 15,783 bilhões nos dez primeiros meses deste ano, na comparação com US$ 13,571 bilhões no mesmo período de 2020. Somente em outubro, o resultado ficou negativo em US$ 4,464 bilhões, o maior rombo desde março deste ano (-US$ 5,189 bilhões).
O resultado em transações correntes, um dos principais sobre o setor externo do país, é formado por balança comercial (comércio de produtos entre o Brasil e outros países), serviços (adquiridos por brasileiros no exterior) e rendas (remessas de juros, lucros e dividendos do Brasil para o exterior).
Rombo nas contas externas é o menor em 14 anos até setembro
De acordo com o BC, o aumento no rombo das contas externas em outubro está relacionado com um superávit menor da balança comercial e, também, com um crescimento nas despesas de brasileiros no exterior, entre outros.
Em um cenário de recessão por conta do coronavírus, o déficit das contas externas recuou 75% em 2020 e foi para US$ 12,517 bilhões.
Para todo ano de 2021, a expectativa do Banco Central é de uma piora nas contas externas. A estimativa da instituição é de um saldo negativo de US$ 21 bilhões nas contas externas neste ano.
Investimentos estrangeiros
Os investimentos estrangeiros diretos na economia brasileira somaram US$ 45,788 bilhões nos dez primeiros meses deste ano, com alta de 33,3% na comparação com o mesmo período do ano passado (US$ 34,352 bilhões), informou o BC.
Somente em outubro, porém, os investimentos somaram US$ 2,493 bilhões, o menor patamar desde junho deste ano (US$ 693 milhões).
O aumento dos investimentos acontece em um momento de recuperação da economia mundial, mas também com a perspectiva de taxas de juros maiores em outros países – com a alta da inflação disseminada pelo mundo.
No fim de setembro, o BC baixou a estimativa para ingresso de investimentos diretos no país em 2021 caiu de US$ 60 bilhões para US$ 55 bilhões. Para 2022, o BC projeta entrada de US$ 60 bilhões em investimentos estrangeiros no país.
VÍDEOS: veja mais notícias de economia

Curta ou Compartilhe esse anúncio
0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *